Redação: dá para vencer o bicho-papão?

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Alunos escrevendo sem martírio, com efetividade, clareza e alegria são resultado de processos inteligentes e bons materiais de apoio

 

Escrever pode se tornar um grande sacrifício para boa parte dos estudantes. Agregada à necessidade de aprender a fazer boas redações, vem as pressões para exames escolares, provas admissionais em faculdades por todo país e, mais adiante, processos seletivos para empregos. Escrever bem pode se tornar um fardo na vivência acadêmica e profissional. Mas é possível educar alunos sem este trauma, ajudando com que tenham sucesso nesta importante atividade da vida.

Com o apoio de materiais didáticos de excelência e por meio de processos docentes inovadores e inteligentes, os estudantes (possuindo, ou não, excepcionais talentos linguísticos) podem se tornar redatores de grande competência. Essa não é uma missão estranha ao Sistema Interativo e aos professores de nossa Rede. Há tempos, nosso material é preparado com zelo e dedicação a fim de atender a estas necessidades dos alunos. Confira dicas interessantes para potencializar estes processos:

  1. Incentivo à leitura

Para escrever bem, antes de tudo, é importante ler com frequência. Este é o passo inicial na jornada de construir bons textos e que possam ser feitos sem estresse. Além das variadas dicas e tarefas relacionadas à leitura que o material do Sistema Interativo propõe, os professores podem inovar neste campo com diversas atividades. Um clube de leitura, que proponha livros interessantes e chamativos aos alunos, pode ser iniciado, inserindo os estudantes em grupos que discutam amplos aspectos da leitura realizada. Isto ajuda a aumentar o vocabulário, a fluência na escrita e amplia repertório de debate que poderá ser utilizado, futuramente, em redações de processos seletivos.

  1. Foco na prática e aprendizado das estruturas base

Nossos materiais didáticos têm foco em apresentar e fortalecer o conhecimento dos estudantes a respeito de todas as estruturas possíveis para se desenvolver um texto, nas mais variadas situações. Em casos de avaliações textuais, uma boa nota depende de entender a estrutura mínima da redação e os critérios que serão utilizados na hora da avaliação. Em sala de aula, é importante reforçar com o grupo os passos de cada estrutura textual, fazer com que pratiquem as diferentes partes de cada tipo de texto, e também que entendam a importância destas partes serem utilizadas em seu devido lugar. É comum que em exames admissionais os textos exigidos sejam argumentativos (o famoso texto dissertativo). Com foco em aprender cada parte exigida nesta estrutura, o aluno foge de textos sem nexo, ideias desconectadas, frases clichês, etc. O professor pode incentivar, também, os alunos a, antes de escrever, listar em tópicos todas as ideias que têm. Isto facilita o encadeamento e a organização inteligente da redação.

  1. Treino para escrita simples e clara

Ninguém precisa ser um gênio da escrita para obter excelentes notas em redação. Conhecendo a estrutura e tendo bom repertório e vocabulário, o aluno é capaz de estruturar ideias de forma eficiente. Nas correções individuais dos trabalhos e durante as aulas o professor pode enfatizar a importância de deixar de lado o vocabulário rebuscado. Um texto cheio de excessos é cansativo e pode ser mal compreendido. Nosso material se preocupa em fornecer exercícios que ajudem o aluno a escrever de forma mais clara, sem exageros linguísticos, concentrando-se no tema a ser explorado. Sempre é bom apontar a importância de frases curtas, que não repitam constantemente as mesmas ideias, evitando o uso massivo de adjetivos, e que se conectem umas as outras de forma coerente. Uma boa redação não precisa ser longa, mas precisa ser clara e inteligível. E lembre-se: praticar constantemente é caminho certeiro para o sucesso. Depois de escrever, leia, releia e peça que outros leiam.

  1. Acesso a variadas fontes de informação

Um importante passo para a escrita de bons textos é manter-se informado quanto a questões atuais e sociais. Em sala de aula os professores podem sugerir atividades que exijam a leitura de jornais, revistas ou o acesso a programas audiovisuais e sites que tratem destes temas. Propor que o aluno debata estes assuntos em casa, com a família e amigos, também é uma excelente forma de ajudá-lo a construir bons argumentos para redações. É interessante, também, sugerir que o aluno crie um caderninho de argumentos. Sempre que tiver uma boa ideia, pode anotar ali, revisitando suas anotações antes de escrever os textos que forem solicitados.

  1. Ampliação do repertório cultural

Por fim, é de extrema relevância, que os alunos tenham acesso a variadas fontes de conhecimento e interesses a fim de ampliar o repertório cultural. Nunca é perda de tempo debater sobre games ou tecnologia, tanto quanto sobre filosofia e política. Isto contribui para a construção de um pensamento rizomático, sempre em expansão. Traga para sala de aula assuntos interessantes que possam ser vistos da ótica de diferentes áreas do conhecimento. Propor que os próprios estudantes busquem essas conexões também fortalece o arcabouço de argumentos a serem utilizados em um texto. Na hora de escrever a redação, estes conhecimentos variados podem ser essenciais para conectar ideias.

 

Escrever pode nem sempre ser fácil, não é mesmo? Mas não precisa, de modo algum, se tornar um martírio. Confira como nossos materiais didáticos e as experiências de nosso time de docentes tem contribuído para potencializar a escrita dos alunos. É só entrar no nosso site.

Explore outros conteúdos

A Plataforma de Ensino Digital – Weekly – é uma solução inovadora para o ensino on-line. Proporciona um ambiente virtual de aprendizagem e o acesso a diversos recursos digitais conectados ao Sistema de Ensino Interativo.